CRIATIVIDADE: O QUE VOCÊ PRECISA SABER PARA DESENVOLVER SEU LADO CRIATIVO

Qual a diferença entre criatividade e inovação?

É muito comum que se faça certa confusão ao usar essas duas palavras. Então, criatividade e inovação são a mesma coisa?

Criatividade

Vejamos as definições:
  • Criatividade indica a capacidade de criar, produzir ou inventar coisas novas.
  • Inovação é a ação ou o ato de inovar; efeito de renovação ou criação de uma novidade que muitas vezes traz retorno financeiro.

Tanto criatividade quanto inovação originam-se do latim, “creare” e “innovatio”.

Contudo podemos perceber que há uma característica muito forte que as tornam completamente diferentes — a ação.

A ação é a magia que transforma criatividade em inovaçãoClique para Twittar

 

Enquanto a criatividade tem a ver com o ato de criar algo, a inovação tem a ver com o que se faz com aquilo que se criou.


Como funciona o cérebro das pessoas criativas

Criatividade - Cérebro

Da Vinci, Einstein, Newton, Michelangelo… a lista de gênios da história da humanidade está cheia de personalidades que transbordam criatividade.

Mesmo sem chegar a esse patamar, as pessoas que têm ideias originais em sua vida cotidiana possuem um cérebro diferente dos demais, segundo pesquisa liderada por Roger Beaty, especialista em neurociência cognitiva pela Universidade Harvard.

Assim como a inteligência, a criatividade é algo que todos temos em maior ou menor medida.

Cientistas começam a descobrir quais zonas do cérebro se relacionam à criatividade, identificando processos como ideias espontâneas ou pensamento controlado.

Mediram a atividade do cérebro em pessoas que trabalhavam em tarefas que exigem pensamento criativo (uso diferente para objetos cotidianos).

“Descobrimos que pessoas com ideias originais demonstraram um padrão diferente em suas conexões neurais”, afirmou Beaty à BBC.

Beaty estudou o comportamento das distintas redes neurais de 163 pessoas, por meio de ressonâncias magnéticas.

Essa técnica permitiu obter imagens em múltiplas áreas do cérebro durante atividades que envolvem habilidade artística e criativa, como pensar “fora da caixa”.

A habilidade criativa de uma pessoa está relacionada com a força de suas conexões neurais no interior de uma mesma rede.

As redes neurais criativas:
  • Rede de modo padrão — usada quando o cérebro está gerando ideias e simplesmente imaginando.
  • Rede de controle executivo — ativada para a tomada de decisões e avaliações de ideias.
  • Rede de saliência — usada para discernir quais ideias são relevantes, facilitando a transição das ideias entre os modos padrão e executivo.

Em geral, essas redes não funcionam simultaneamente.

Por exemplo, quando se ativa a rede de controle executivo, a padrão pode deixar de trabalhar.

A pesquisa sugere que as pessoas criativas têm uma habilidade maior em ativar redes neurais que costumam trabalhar separadamente.

O cérebro criativo está conectado de uma maneira diferente, portanto, é capaz de ativar sistemas cerebrais que tipicamente não funcionam juntos.


Como desenvolver sua criatividade

Criatividade - Desenvolver

Quantas utilidades você pode pensar para um clips de papel em três minutos?

Se você está na média, provavelmente conseguirá pensar em 10 ou até 20 usos diferentes.

Eu pensei em 12.

O teste do clips foi criado em 1967 por J.P. Guilford como uma medição de pensamento divergente e faz parte de avaliações conhecidas como “testes de uso alternativos”, que medem a criatividade.

Muitas pessoas acreditam que a criatividade é um dom.

Mas a verdade é que é possível adquiri-la e desenvolvê-la.

Leia também:

De acordo com um estudo feito por Harvard, criatividade é, em 85%, uma habilidade aprendida.

Isso significa que podemos melhorá-la. Mas como?

Em O DNA do inovador —  Dominando as cinco habilidades dos inovadores de ruptura, os autores Jeff Dyer, Hal Gregersen e Clayton Christensen descobriram as cinco habilidades que diferenciam os inovadores dos profissionais comuns:

  • Associação
  • Questionamento
  • Observação
  • Networking
  • Experimentação

# Associação

É a prática de conectar os pontos entre duas ideias aparentemente desvinculadas.

É a arte de tirar inspiração e insights de uma área e aplicá-los em algo completamente diferente.

Richard Branson, fundador do Virgin Group, acredita tão ardentemente nessa ideia de associação que a tornou parte do DNA de sua empresa.

Branson emprega a sigla ABCD for “Always Be Connecting Dots”, em português “Sempre Esteja Conectando Pontos”, coisa que Steve Jobs fez com maestria na Apple, tanto que deixou registrado em seu celebre discurso realizado para os formandos da Universidade de Stanford.

# Questionamento

Curiosidade é um elemento bastante arraigado em todas as profissões criativas.

Indivíduos altamente criativos e inovadores sempre estão perguntando por que e o que, e quase nunca aceitam o mundo como ele é.

Leonardo Da Vinci acreditava profundamente nos poderes da curiosidade e seus efeitos na criatividade.

Ele escreveu entre os seus rascunhos e diagramas mais famosos:

“Vaguei pelo campo buscando respostas para as coisas que eu não entendia”.

# Observação

Em seu livro Gênio: Como pensar como Sherlock Holmes, Maria Konnikova enfatiza a importância de observar seus arredores num nível mais profundo.

Para ilustrar o poder da observação, ela relembra a história de quando Holmes pergunta ao seu parceiro Watson quantos degraus tem a escada que conecta um cômodo da casa a outro (um caminhos que ambos percorreram milhares de vezes).

Quando Watson anuncia que ele não sabe, Holmes responde:

“Você não observou. Mesmo que você os tenha visto. Esse é o meu ponto. Agora, eu sei que são dezessete degraus, porque eu tanto vi quanto observei.”

# Networking

Isso não se trata de apenas expandir seus contatos no LinkedIn ou o porta-cartões corporativo em sua mesa.

Networking envolve expandir sua rede para incluir indivíduos e ideias de todos os âmbitos da vida.

Indivíduos criativos não se atém somente a sua especialidade, pois eles estão constantemente tentando coisas novas.

# Experimentação

Para construir ideias únicas, você precisa se aventurar para fora de sua zona de conforto e experimentar novas ideias e diferentes formas de trabalhar.

O Google criou o conceito de “tempo 80/20”, permitindo que os engenheiros se dedicassem a algo de sua preferência em 20% do tempo de trabalho.

O conceito se espalhou para outras empresas, como LinkedIn e Apple. Elas entendem que a criatividade não acontece do nada.

A criatividade exige trabalho, mas não é suficiente só querer ser criativo.

Você tem que ir atrás disso.

Está gostando do artigo sobre Criatividade? Então compartilhe.

Cadastre seu email para receber GRATUITAMENTE nossas atualizações!

Receba gratuitamente nossas atualizações!


O mito da criatividade e o lado direito do cérebro

Criatividade - lado direito

O lado esquerdo do cérebro lida com a parte lógica da mente, ou seja, números, palavras, pensamento racional, listas e análises.

Em contrapartida, o hemisfério direito é associado à imaginação, divagações, produções visuais e emoções.

A criatividade, por ser um processo não linear, emocional e geralmente desorganizado seria uma produção do lado direito do seu cérebro. Certo? Não é bem assim.

O que realmente acontece durante o processo criativo é o uso de ambos os lados, ou seja, a lógica dos números e das palavras com a habilidade de imaginar e sonhar acordado, gerando o que chamamos de criação.

Portanto, para aumentar a criatividade você precisa aprender a dosar o uso do seu lado emocional, deixar os pensamentos livres e usar as emoções para criar.

Mas ao mesmo tempo precisa recorrer à lógica para organizar e filtrar as ideias.


Modelo “CREATES” para aumentar a criatividade

Criatividade - Modelo CREATES

A neurocientista Dra. Shelley Carson, descreveu em seu livro, “O cérebro criativo”, os 7 padrões cerebrais relacionados à criatividade, que ela nomeou como CREATES.

  • Conectar (Connect)
  • Razão (Reason)
  • Visualizar (Envision)
  • Absorver (Absorb)
  • Transformar (Transform)
  • Avaliar (Evaluate)
  • Corrente (Stream)

# Conectar

O primeiro padrão é a conexão.

Um estado específico de concentração e foco porque permite fazer ligações entre conceitos ou objetos não relacionados, gerando várias soluções para o mesmo problema.

Além de gerar um estado de permanente inspiração e motivação pessoal para continuar criando.

O YouTube, por exemplo, surgiu da conexão entre a lentidão do sistema de e-mail e a demora para baixar arquivos.

Para vencer essa barreira, Chad Hurley e Steve Chen criaram uma plataforma na qual você não teria que fazer download para poder assistir a vídeos mais rapidamente.

Basicamente eles fizeram a conexão entre dois conceitos não relacionados e criaram uma solução.

# Razão

É o momento em que você busca em sua memória, de forma consciente, a resposta para uma dúvida ou problema.

Quem usa a razão, utiliza o raciocínio lógico para aumentar a criatividade.

# Visualizar

A visualização equivale à imaginação, onde utilizamos recursos visuais para ver as semelhanças em conceitos completamente não relacionados.

Dar uma representação visual para um conceito abstrato, como um sentimento por exemplo, equivale ao exercício da visualização e estimula a criatividade.

# Absorver

Significa ter a mente clara, alerta e aberta a novas possibilidades, isto é, sem julgamentos, preconceitos e  visão crítica.

Você apenas observa e registra, pois é nesse momento que podem surgir as ideias mais inovadoras.

# Transformar

Modificar um sentimento negativo, como raiva ou tristeza em algo positivo já é uma função transformadora de estado de consciência.

Em um primeiro momento as ideias precisam surgir sem julgamentos ou visão crítica e racional.

# Avaliar

Nem toda ideia pode ou deve ser aproveitada. Por isso você deve filtrar e validar o que pode ser aproveitado e eliminar aquilo que não tenha valor.

# Corrente

O último padrão, você entra em uma espécie de estado de flow (experimentar o grau máximo de concentração), onde as suas ideias surgem sem grandes dificuldades e em uma sequência não-caótica.

Não existe certo ou errado, mas criatividade e zona de conforto são conceitos que não combinam.

Se você ficou curioso(a) sobre como ativar mais modos de criatividade, então leia o livro “O cérebro criativo” da Shelly Carlson, onde nos ensina técnicas e exercícios baseadas no método CREATES.

O pensamento criativo acontece de forma muito mais rápida se for estimulado.Clique para Twittar

Leia também:

Gostou do artigo sobre Criatividade? Então compartilhe.

Cadastre seu e-mail para receber GRATUITAMENTE nossas atualizações!

Receba gratuitamente nossas atualizações!


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *